As muitas vidas dos muitos homens das muitas ruas ou Sutil desencaixe

Quando eu te encarei frente a frente e não vi o meu rosto Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto É que Narciso acha feio o que não é espelho E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho   Pega uma revista Caras. Corre as páginas pelos … Continue lendo As muitas vidas dos muitos homens das muitas ruas ou Sutil desencaixe

Anúncios

o que é singelo

Os passos na areia, andando-se para trás; saber-se dono dos próprios passos, sentir-se responsável por si e, por um segundo, livre. Surpreender-se feliz - e só feliz - num momento impróprio, lavando a louça, escovando os dentes, andando na rua. Sentir o som do próprio fone de ouvido contagiando o mundo, contagiando a si, espalhando-se … Continue lendo o que é singelo

O inimigo de capa preta, a grande batalha final e as legendas com os créditos e agradecimentos

 Adolescente, lembro que tinha devaneios e fazia planos de um dia escrever um livro que terminasse abruptamente, com poucas páginas, porque o protagonista tenta fazer algo arriscado, e aquilo dá errado, e ele morre ou fica paralítico. Dali se seguiria um breve capítulo em que o narrador conta que o livro seguiria com outras aventuras, … Continue lendo O inimigo de capa preta, a grande batalha final e as legendas com os créditos e agradecimentos

Ruínas de Slow dancing in a burning room

[Clique no link abaixo; se necessário, espere a música carregar para iniciar a leitura. http://www.youtube.com/watch?v=hX-nuY9LJAs%5D    A história começa num ponto inenarrável.   Seria absolutamente ineficiente e errôneo buscar verbalizações de pensamentos dele, ou flashbacks, cortes de cena, o que quer que seja; começa-se necessariamente com a cena, e o silêncio, dos dois.   Eles se abraçam - … Continue lendo Ruínas de Slow dancing in a burning room

Distopia hiperbólica

Fonte: O Estado de São Paulo, 12 de julho de 2012, caderno Cotidiano, Pág. C10.  CET registra redução de 90% no trânsito da metrópole nos últimos 3 anos Prefeitura considera série de medidas um sucesso - "estamos construindo a São Paulo que todos querem ver", afirma Kassab. -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------     São Paulo tem passado por uma série … Continue lendo Distopia hiperbólica

Presságio ou Formatar/Resetar/Ejetar 2

            Recebi de troco na padaria uma nota de dois reais em que estava escrito, em letras garrafais: "EU ODEIO VOCÊ".             Espantei-me, depois, com a minha reação: olhei intrigado e questionador para o caixa, como se perguntasse a ele "por que você me odeia?".             O caixa, e me pareceu óbvio quando o vi … Continue lendo Presságio ou Formatar/Resetar/Ejetar 2

Breve comentário a Noite e Neblina, de Alain Resnais

  [A câmera afasta-se lentamente de uma construção em ruínas]: afastamo-nos das ruínas - diz o locutor - como se nos afastássemos dos horrores do Holocausto; como se o que se passou fosse uma lembrança no passado, de um país, de uma época, em uma situação.   É com essa provocação que Resnais encerra seu documentário, de … Continue lendo Breve comentário a Noite e Neblina, de Alain Resnais

Terceira margem: o cuidado entre a instituição de ensino e a instituição atendida

  Este texto é a base de uma fala apresentada em um evento em 2008. Os cinco autores escreveram este texto tendo como objetivo a comunicação - e talvez, com isso, a elaboração - de uma experiência de estágio bastante difícil. Resulta de um processo de narrativa coletivo.Os cinco participantes deste processo estiveram envolvidos, no primeiro semestre … Continue lendo Terceira margem: o cuidado entre a instituição de ensino e a instituição atendida