As botas (e Lino)

As botas cruzadas sobre o banquinho não se ocupavam da réstia de sol a escorregar para fora do alpendre, não. Com o que podiam da atenção, ao sabor da leseira que arrasta o fim de um dia abafado, miravam, sim, o mar de zinco morro abaixo, rebrilhando ao sol como mil peixes esperneando numa tarrafa … Continue lendo As botas (e Lino)

Ode ao Rei Verso

Se um verso, face aparente de um sonho qualquer, dissesse de mim mais do que o que eu sou, (Ou se dissesse de mim não mais que tudo que importa), Se ele me atravessasse as farsas, os impasses e os disfarces,Ele, a frente esquecida do verso de mim. Se um verso meu me pudesse sonhar … Continue lendo Ode ao Rei Verso