Condicional

Que acasos esparsos me ungissem os passos me aguardassem pelas curvas mais agudas da trilha   Que me tingissem alvores, rubores, negrumes As gulas, ventos, doces tempos Toda a certidão, hesitação, patifaria   Que houvesse descaso, esparramado docemente ao sabor das ventanias   Que eu perdesse tudo, tudo tudo em que me reconheço, que só …

Continue lendo Condicional

Anúncios

Não que eu possa

Não que eu possa ver Tecer uma verdade por nós dois   Não que eu possa crer Que haja esperança pra depois   Se a gente retomar Olhar uma vez mais Nos olhos do amor-pátria que um dia nos uniu Não quero escarnecer Mas que isso vá pra puta que o pariu   Bom senso …

Continue lendo Não que eu possa

Lamento do Império Colonial

Vínhamos - não todos, todos. Era um engano imenso, do tamanho de um país. Estávamos unidos, uma farsa só, bandeiras a tremular, corações a tremular, pensamentos, todos tão seguros, hasteados nos mais altos mastros. Sorríamos uns aos outros, encantados conosco. Era uma festa, e era uma redenção, uma luta ganha de antemão. Uma luta ganha …

Continue lendo Lamento do Império Colonial

Demora

Ao Martin, ao seu ser de outro tempo, e ao meu não entendê-lo o melhor que posso Corre o tempo. Corre como um rio, convida à serena habitação de seu burburinho. Em meio ao outro, menor, mais afoito burburinho, corre o rio em seu mudo, pacato, inevitável, inaudível burburinho. Habitar o sereno burburinho do tempo …

Continue lendo Demora