Horror e gozo

Tem mais gente nas sombras, agora. Chegam mais a cada dia. Eu olho com os cantos dos olhos, tão curioso quanto amedrontado. Sei há tempos que eles vêem, mas ainda assim não consigo olhar diretamente, como não consigo deixar de olhar. Nunca achei que eles pudessem realmente me fazer algum mal. No fundo acho que …

Continue lendo Horror e gozo

Anúncios

Caixa 2

Por vezes me vem essa fantasia, portando consigo a angústia que ela veste: o mercado abre, o caixa atende a infindável procissão de velhinhos e outros clientes preferenciais, o mercado fecha e eu estou lá, os pãezinhos na mão, aguardando atendimento. Ou: faço meu cadastro na recepção do pronto socorro e sentamos na sala de …

Continue lendo Caixa 2

… numa terra muito, muito distante

O clima de tensão era praticamente visível: havia uma espessura, uma expectativa, a espera por algum tipo de catástrofe ou milagre, havia medo e um esforço obviamente inútil de pretender normalidade. Em geral não se via muita gente. Já era tarde, os trens pegavam pouca gente nas estações, os faróis paravam poucos carros junto às …

Continue lendo … numa terra muito, muito distante

Figo

Opa! Puxa, que bom revê-lo, menino! Cresceu, hein? Entra, entra, faz favor. Pois é, faz tempo. Bom que você veio! Quer um café? Passei agora há pouco. É, é mesmo. Então, sabe que desde que aposentei - faz dez anos já, acredita? - todo dia, de segunda a sexta, eu passo um café por volta …

Continue lendo Figo