Horror e gozo

Tem mais gente nas sombras, agora. Chegam mais a cada dia. Eu olho com os cantos dos olhos, tão curioso quanto amedrontado. Sei há tempos que eles vêem, mas ainda assim não consigo olhar diretamente, como não consigo deixar de olhar. Nunca achei que eles pudessem realmente me fazer algum mal. No fundo acho que …

Continue lendo Horror e gozo

Anúncios

… numa terra muito, muito distante

O clima de tensão era praticamente visível: havia uma espessura, uma expectativa, a espera por algum tipo de catástrofe ou milagre, havia medo e um esforço obviamente inútil de pretender normalidade. Em geral não se via muita gente. Já era tarde, os trens pegavam pouca gente nas estações, os faróis paravam poucos carros junto às …

Continue lendo … numa terra muito, muito distante

Resenha de “Outubro”, por China Mieville

Título do livro: Outubro: história da Revolução Russa autor: China Miéville editora: Boitempo título original: October: The Story of The Russian Revolution (Verso Books) 352 páginas ano de publicação: 2017 Endereço para compra no site da editora: http://www.boitempoeditorial.com.br/v3/Titulos/visualizar/outubro China Mieville é um autor prolífico; é verdade que “Outubro” é apenas o terceiro trabalho seu a …

Continue lendo Resenha de “Outubro”, por China Mieville

Lamento do Império Colonial

Vínhamos - não todos, todos. Era um engano imenso, do tamanho de um país. Estávamos unidos, uma farsa só, bandeiras a tremular, corações a tremular, pensamentos, todos tão seguros, hasteados nos mais altos mastros. Sorríamos uns aos outros, encantados conosco. Era uma festa, e era uma redenção, uma luta ganha de antemão. Uma luta ganha …

Continue lendo Lamento do Império Colonial

o ponto cego, o nó da costura do tempo e a solda improvisada com isqueiro

É certo, quase certo, que quando naufragar de vez esse nosso verde-amarelo submarino, terá vindo da avenida paulista a derradeira e decisiva rachadura. sabemos, como se soubéssemos, que é lá que se jogam no presente os trucos do passado e os blefes do futuro. é lá que se olham nos olhos os parceiros, certos de …

Continue lendo o ponto cego, o nó da costura do tempo e a solda improvisada com isqueiro