Boneca russa

Ele saiu de casa atrasado, e a chance de chegar a tempo à reunião é mínima.     O trânsito, pra variar, não colabora - como as pessoas dirigem mal! Alguém faz cagada lá na frente e as buzinas começam e vão ganhando adeptos a cada segundo, como um dominó, como MPB4. Obviamente as buzinas … Continue lendo Boneca russa

T’s some blues you got

- Enche um Cynar pra mim, ô Tonho!    Tonho enche, quieto. Bate o copo na frente dele. Olha bem pra ele enquanto ele pega o copo, sem olhar pro Tonho. Tonho pergunta: - Que aconteceu? Vai pra casa! - Eu ia. Descarregou a porra do bilhete, sei lá. Eu pus cinquenta conto ontem mesmo, … Continue lendo T’s some blues you got

Marina – mais uma do executivo

 "Quantas padarias tem São Paulo?" [ Foi há um certo tempo que perguntaram; a pergunta não deixa de ser boa. Quantas padarias haveria na cidade? Quanta gente tomando pão com café? Quanta gente checando seus e-mails em seus celulares, arrumando seus cabelos com espelhos diminutos?  Dez mil, imagino. Ou não, talvez mais: quinze mil padarias.  Isso … Continue lendo Marina – mais uma do executivo

Distopia hiperbólica

Fonte: O Estado de São Paulo, 12 de julho de 2012, caderno Cotidiano, Pág. C10.  CET registra redução de 90% no trânsito da metrópole nos últimos 3 anos Prefeitura considera série de medidas um sucesso - "estamos construindo a São Paulo que todos querem ver", afirma Kassab. -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------     São Paulo tem passado por uma série … Continue lendo Distopia hiperbólica

Vértices da alienação

            Em Cidades Invisíveis, de Ítalo Calvino, Marco Polo narra a Ghengis Khan as cidades fantásticas que encontrou ao longo de suas viagens; cidades sem fim se seguem no livro, breves relatos, como se fossem sonhos, cidades não-todas, cidades-proposta, cidades-fantasia. Em meio aos relatos, Khan e Polo se desafiam, pensando se as cidades invisíveis são … Continue lendo Vértices da alienação