Ascensão e queda e ascensão do muro

Fazia um frio estranho, com a neve caindo preguiçosa ao sabor do vento, desenhando um ou outro redemoinho no ar, acariciando os galhos das árvores – mais ou menos como eucaliptos, mas um pouco “gordinhos” demais para ser eucaliptos (eu, de minha parte, nunca fui bom em distinguir árvores, então só me espantava com o … Continue lendo Ascensão e queda e ascensão do muro

Lake Song

Estivéramos um tempo revirando as pedras à beira do lago,  à busca de pequenos curiosos animais; à busca de tiradas espirituosas e mistérios distantes; à busca um do outro;  em paz. Ainda há pouco eu comentara algo a respeito de um animalzinho de patas finas e compridas, Colin sorrira, e foi então que percebi que … Continue lendo Lake Song

Rendição premiada, delação de nada

Fugiremos, como pudermos, e o sol nos acolherá com o que se nos faz necessário. O tempo escasso cobrará seu último grão e estaremos finalmente sem tempo, tendo conosco só o tempo do mundo – todo o tempo do mundo. Veremos quem não conhecemos ainda, seremos ninguéns de passagem, sempre de passagem, e ao cabo de … Continue lendo Rendição premiada, delação de nada