Por demos

Onde, quando estiver, onde? Nessas largas ruas, nessas parcas calçadas? No já não lembrar da terra soterrada? No poder mudar por já não querer nada? E se não? E se por outros, loucos, caminhos? Ou se não loucos, mas tão evidente, vergonhosamente outros? Óbvios, e supostamente nossos? E se pela ancestralidade? E se não cosmopolita? … Continue lendo Por demos

Baba de baleia

Minha cara, mesmo. Chego na Paulista imaginando encontrar a história sendo escrita, decidido a participar e convencido de que minha decisão seria, de alguma forma, também a decisão do mundo. “Claro, meu querido, se você saiu de casa e veio pra cá, parece mesmo que está na hora de as coisas acontecerem”. Eu chegaria animado, … Continue lendo Baba de baleia