O homem da tempestade (uma parábola)

Há algum sinal de mudança, talvez – um esgar de claridade, um indício de duna. Há uma presença do tempo, a insinuação de um tempo a existir, algo que só as bordas, a falhar, denotariam. Algo disso ocorre ao Homem da Tempestade, ainda que, aparentemente indiferente, ele siga, sem rumo, como haveria de ser, mas … Continue lendo O homem da tempestade (uma parábola)

A parábola do governante

Houve um governante, que governou muitas vezes, muitos lugares e por muitos tempos.  Talvez eu devesse dizer que há um governante, e não que houve, dada a atualidade de seu jugo; mas o poder repressivo e dominador do tempo presente me intimida, de forma que recorro ao passado. Talvez eu devesse dizer também que ele, … Continue lendo A parábola do governante